1º Domingo do Advento

 

Que os vossos corações não fiquem insensíveis

 

 

A virtude da Temperança

A temperança é a virtude moral que modera a atracção dos prazeres e proporciona o equilíbrio no uso dos bens criados. Assegura o domínio da vontade sobre os instintos e mantém os desejos nos limites da honestidade. A pessoa temperante orienta para o bem os apetites sensíveis, guarda uma sã discrição e não se deixa arrastar pelas paixões do coração. A temperança é muitas vezes louvada no Antigo Testamento: «Não te deixes levar pelas tuas más inclinações e refreia os teus apetites» (Sir 18, 30). No Novo Testamento, é chamada «moderação», ou «sobriedade». Devemos «viver com moderação, justiça e piedade no mundo presente» (Tt 2, 12).

Catecismo da Igreja Católica, 1809

Oração para pedir a bênção da Coroa do Advento

Pres.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Pres.: O nosso auxílio é o nome do Senhor.

Todos: Que fez o céu a terra.

Pres.: A terra, Senhor, alegra-se nestes dias,
e sua Igreja transborda de gozo
diante de seu Filho, o Senhor Jesus,
que se mora como luz esplendorosa,
para iluminar aos que jazem nas trevas,
da ignorância, da dor e do pecado.
Esperançoso em sua vinda,
seu povo preparou esta coroa
com o Ramos do bosque e a adornou com luzes.
Agora, que iremos começar
o tempo de preparação
para a vinda de seu Filho,
te pedimos, Senhor,
que, enquanto se acrescenta cada dia
o esplendor desta coroa, com novas luzes,
nos ilumine
com o esplendor daquele que,
por ser a Luz do mundo,
iluminará todas as escuridões.
Pedimos isso por Ele mesmo
que vive e reina pelos séculos dos séculos.

Todos: Amém.

 

Pres.: Vamos acender a primeira vela da Coroa do Advento. A luz nascente nos conclama a refletir e aprofundar a proximidade do Natal, onde Cristo, Salvador e Luz do mundo brilhará para a humanidade. Lembra ainda o perdão concedido a Adão e Eva. A cor roxa nos recorda nossa atitude de vigilância diante da espera do Senhor que virá.

 

Canto para acender a primeira vela

 

Uma vela se acende no caminho a iluminar.
Preparemos nossa casa é Jesus quem vai chegar.

No advento a tua vinda nós queremos preparar.
Vem, Senhor, que é Teu Natal, vem nascer em nosso lar. (Bis).

 

Oração

 

Leitor: Que esta coroa nos ajude a preparar os corações de cada membro desta família para sua chegada no dia de Natal.

Todos: Pedimos-Te, Senhor.

Leitor: Damos graças, Senhor, por nos enviar seu Filho para nos salvar e lhe pedimos ajuda para preparar nosso coração para a Vinda de Cristo, especialmente pela virtude da temperança.

Todos: Bendito seja Deus para sempre. Amém.

 

Preparação para o Evangelho

 

Leitor: Todo sinal é dado como aviso e preparação para o que vai acontecer. A natureza tem essa disposição, por exemplo, no que caracteriza a chegada de cada estação como a chuva que antecipa o outono. Na História da Salvação todo sinal, além de ser dado como aviso e preparação para o que vai acontecer, comunica sempre um evento de ordem superior e não meramente natural ou histórico. Assim sendo a fé é o primeiro pressuposto para a percepção de tais sinais como eles devem ser percebidos e para a finalidade para a qual apontam. Mas a fé é apenas a primeira condição, existe uma outra condição indispensável. É o que vamos meditar neste primeiro domingo do advento.

 

Evangelho (Lc 21,25-28.34-36)

 

25“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. 26Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. 27Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória. 28Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. 34Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; 35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. 36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem”.

 

Meditação: Que os vossos corações não fiquem insensíveis

 

A reação dos homens diante da Vinda Gloriosa de Jesus no fim dos tempos é descrita em dois modos diferentes: primeiro, haverá aqueles que sentirão medo até as entranhas ao ponto da perda dos sentidos (v. 26); e, segundo, aqueles que estarão de pé e de cabeça erguida não obstante as inúmeras provas (v. 28) – e esta será a condição de todos os eleitos. Por isso São Lucas trata a Parusia e os eventos que acontecerão antes da Vinda Gloriosa de Nosso Senhor de modo muito positivo em relação aos fiéis.

Três são as advertências que faz o Divino Mestre em relação a preparação para Sua Vinda: a gula, a embriaguez e as preocupações da vida. Todas essas advertências tratam de apego aos bens criados, que deveriam estar a serviço do homem e não escravizá-lo.

Por detrás deste apelo do Evangelho de desapegar-se das coisas do mundo que tornam o coração cada vez mais insensível para as coisas de Deus esconde-se nas entrelinhas a virtude moral da temperança como arma eficaz para a constante vigilância e oração. Assim define a temperança o Catecismo da Igreja Católica: “A temperança é a virtude moral que modera a atração dos prazeres e proporciona o equilíbrio no uso dos bens criados. Assegura o domínio da vontade sobre os instintos e mantém os desejos nos limites da honestidade. A pessoa temperante orienta para o bem os apetites sensíveis, guarda uma sã discrição e não se deixa arrastar pelas paixões do coração” (§ 1809).

A temperança traz consigo outras conquistas e virtudes, tais como a honestidade, a abstinência, o jejum, a sobriedade, a castidade, a virgindade, a continência, a clemência e a mansidão, a modéstia e o pudor, a pureza, etc. A vida virtuosa é caminhar na perfeição. É procurar fazer tudo do melhor modo possível tendo em vista agradar a Deus e cumprir com a finalidade da nossa existência neste mundo: a glória de Deus. Toda vez que o homem progride na virtude está dando glória a Deus, consolidando em si a vida cristã e se preparando para a Vinda do Senhor.

 

 

Propósito para o Natal

 

            Um ato de temperança para a Noite de Natal.

 

Oração final

 

Pres.: Ó Deus todo-poderoso, concedei a vossos fiéis o ardente desejo de possuir o Reino Celeste, para que, acorrendo com as nossas boas obras ao encontro do Cristo que vem, sejamos reunidos à sua direita na comunidade dos justos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Todos: Amém.

 

Oração à Nossa Senhora

 

Leitor: Doce Virgem Maria, cujo coração foi por Deus preparado para morada do Verbo feito carne pelas inefáveis alegrias da expectação de vosso santíssimo parto, ensinai-nos as disposições perfeitas de uma íntegra pureza no corpo e na alma, de uma humildade profunda no espírito e no coração, de um ardente e sincero desejo de união com Deus, para que o meigo fruto de vossas benditas entranhas, venha a nascer misericordiosamente em nossos corações, a eles trazendo a abundância dos dons divinos, para redenção dos nossos pecados, santificação de nossa vida e obtenção de nossa coroa no Paraíso, em vossa companhia. Assim seja.  Amém.

Pres.: Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.

Todos: Amém.

Pres.: Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Todos: Para sempre seja louvado!