A origem do Cerco de Jericó

 

O Cerco de Jericó é um evento de inspiração bíblica (Js 6) em que o Senhor ordena aos israelitas a tomada da terra prometida. A cidade de Jericó era uma fortaleza inexpugnável. Assim que chegou diante da cidade, Josué viu um anjo sobre as muralhas, com uma espada nas mãos que lhe deu instruções claras e detalhadas. Josué e todo povo de Israel executaram as ordens recebidas. Durante seis dias os valentes guerreiros deram voltas em torno da muralha e no sétimo dia deram sete voltas e, durante a sétima volta, ao som da trombeta, todo povo levantou um grande clamor e o poder de Deus fez cair as muralhas de Jericó.

 

Em nossos dias, a experiência do Cerco remonta à Polônia. O recém eleito papa João Paulo II deveria ir à sua nação para celebrar o martírio de Santo Estanislau. Seria a primeira vez que o Santo Padre visitaria seu país, sob o regime comunista; era uma visita importantíssima, mas também muito difícil. Naquele momento histórico, uma alma privilegiada, recebera uma ordem vinda de Nossa Senhora do Rosário, de durante a primeira semana de maio daquele ano, se rezasse ininterruptamente o rosário, em preparação à visita do Papa. As autoridades eclesiásticas acolheram os dias ininterruptos de oração pelo santo padre e pela Polônia, porém pediram que fosse em abril, pois a primeira semana seria justamente a visita do santo padre. E que tal movimento de oração não tomasse o nome de Congresso para evitar problemas com as autoridades; o sugerido foi o nome Cerco de Jericó. A Santíssima Virgem sabia que o Cerco não perturbaria a visita do Santo Padre, pois ela não aconteceria naquele momento. Logo as autoridades recusaram o visto de entrada do Santo Padre na Polônia. Consternação em toda Polônia.

Com redobrado fervor então se organizou o “assalto” de Rosários durante toda aquela semana. E, no dia 7 de maio, ao mesmo tempo em que terminava o Cerco, caíram “as muralhas de Jericó”. Um comunicado oficial anunciava que o Santo Padre visitaria a Polônia de 2 a 10 de junho. Um fato histórico para a nação polonesa e a queda do regime comunista.

 

fonte: www.cleofas.com.br