Vicentinos

Coordenação: D. Terezinha Scamferla

Encontros: Todo dia 27, Missa pela Sociedade São Vicente de Paula – Matriz.           

 

Toda quinta feira e sábado, período da manhã, bazar dos vicentinos e atendimento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desde a simples oferta de «umas achas de lenha» - oferta inicial de Ozanam às famílias que primeiro visitou em Paris - às ofertas de roupa, livros, medicamentos, ajuda na procura de empregos e internamentos, visitas a lares, hospitais, cadeias, ou à fundação das chamadas «obras especiais» (obras de ação especializada e individualizada, lares de 3ª idade, centros de dia, casas de trabalho, salas de estudo, cantinas, lares para jovens, creches jardins de infância, colônias de férias, etc.), a ação vicentina procura ser a resposta oportuna para cada situação de sofrimento ou pobreza que se detecta - resposta mais ou menos imediata, ou de simples encaminhamento das situações mais difíceis para as vias possíveis de resolução, inquietando consciências indiferentes, apesar de responsáveis, mas com possibilidade de resposta às situações de pobreza e sofrimento.



A ação vicentina preocupa-se com a promoção do homem na sociedade através de um sentimento de afeto e respeito pela dignidade de cada pessoa, da oferta de amor, a que todos têm direito, da compreensão e receptividade a uma confidência ou a um desabafo, um conselho com uma palavra amiga, um olhar carinhoso, motivos de fé e de esperança.



Sociedade de São Vicente de Paulo – conhecida pelas iniciais SSVP, é uma organização e um movimento católico internacional de leigos, muito conceituada, com 176 anos de funcionamento foi fundada em Paris, França, no ano de 1833, por Antônio Frederico Ozanam (na época com 20 anos de idade) e alguns companheiros. Organizada sob forma de Federação Internacional, é acreditada junto à Santa Sé e à ONU como instituição que se dedica ao serviço voluntário de promoção humana e assistência social nos 145 países em que atua através de seus 1.000.000 de membros colaboradores (vicentinos e vicentinas).



 

No Brasil a data em que se considera a implantação oficial da Sociedade de São Vicente de Paulo no Brasil é 16.11.1872, data da agregação da Conferência São José do Rio da Janeiro. No ano 2009 a SSVP contava com 250 mil colaboradores voluntários distribuídos pelas 20 mil unidades vicentinas de nosso país. Nos locais em que atuam, os vicentinos prestam assistência voluntária e absolutamente gratuita através de visitas domiciliares semanais a mais de 150 mil famílias carentes (cerca de 600 mil pessoas), sobretudo idosos, doentes, viúvos e desamparados. Nessas visitas semanais, distribui 900 mil quilos de suprimentos (em média 6 kg/semana por família) e encaminha providências para as necessidades de atendimento médico-hospitalar, de orientação cívica e religiosa, de cursos profissionalizantes e de construção de moradias para essas pessoas carentes. A SSVP não discrimina ninguém. Ajuda a todos que dela necessitam sem distinção de raça, cor, posição social e credo político ou religioso. Nenhuma forma de ajuda ou obra de caridade é estranha ao trabalho da SSVP, que mantém ainda o funcionamento de 580 asilos e 41 hospitais públicos (Santas Casas) localizados em diversos estados da federação.A voluntariedade, a seriedade e o espírito de doação e partilha situaram a SSVP no rol das entidades mais respeitadas e reconhecidas no campo da promoção humana e assistência social em todo o mundo.

As Conferência Vicentinas e sua Sistemática Operacional – As Conferências Vicentinas são grupos de pessoas, formadas, de no máximo, 15 (quinze) membros para dar maior agilidade e organização à assistência às famílias, que têm sua sede preferencialmente em uma paróquia católica. Sua sistemática de operação é simples: reuniões e visitas semanais às famílias assistidas. Tudo em um clima fraterno de disponibilidade, humildade, simplicidade, zelo, afeto e espiritualidade.