Notas de rodapé
Informativo Apostolado Educacional Católico
 
Franco da Rocha | Edição 09 | Jul- Set /2021 | Associação Bento XVI
 

O COMUNISMO E A EDUCAÇÃO

“O paraíso na Terra” – Falácia e pesadelo


Pe. Alexandre L. Alessio, CR

[1] O presente artigo visa um panorama geral a respeito dos impactos do comunismo na educação. Por isso a título de pesquisa, aprofundamento e indicação de leitura aparecerão nas notas referências de obras relativas aos aspectos abordados. Caberá ao leitor buscar resposta às questões que forem suscitadas. Para um primeiro contato com o tema do comunismo e uma visão sumária, mas não menos séria e bem orientada, é importante a leitura do Catecismo Anticomunista de Dom Geraldo Proença Sigaud. Edições Cristo Rei: Belo Horizonte, 2018.

[2] Aconselhamos a leitura do artigo A Revolução Francesa e a Educação. Liberdade, igualdade e fraternidade! Para quem? Revista Apostolado Educacional. Abr.-Jun. 2021. Bem como as referências bibliográficas indicadas no mesmo artigo.

[3] N. 16. Na presente Encíclica se encontra a sequência de condenações do Magistério ao Comunismo e a exposição dos seus erros, além da forma como os católicos devem combater os mesmos erros.

[4] Aconselhamos a leitura do artigo O Protestantismo e a Educação. Reforma ou Revolução? Revista Apostolado Educacional. Jan.-Mar. 2021. 

[5] A obra de Daniel C. Scherer, A Raiz antitomista da modernidade filosófica. Edições Santo Tomás: Formosa, 2018, ajuda a traçar o fio condutor do amontoado de erros filosóficos e, por consequência, em todas as outras instâncias da vida humana, até chegar aos dias atuais.

[6] J. Redden. F. Ryan. Filosofia da Educação. p. 377. A presente obra, com as devidas ressalvas, traz das páginas 356 a 485, o impacto do naturalismo, do socialismo, do nacionalismo e do comunismo na educação. Expõe os erros em matéria filosófica e pedagógica a partir da concepção católica da educação.

[7] Essa Encíclica deve ser lida, estudada e aprofundada por quem deseja conhecer a educação católica e não se perder entre os erros filosóficos e pedagógicos atuais. O educador católico não poderia assim chamar-se se nunca leu ou desconhece tal Encíclica e o que nela se encontra magistralmente sintetizado por Pio XI.

[8] A. A. Siqueira. Filosofia da Educação. p. 329. É também uma obra muito aconselhável – com as devidas ressalvas, particularmente no que toca as aplicações da psicologia moderna ao ambiente educativo. O autor aplica as quatro causas, segundo Santo Tomás de Aquino (final, eficiente, formal e material). E na aplicação de tais causas expõe os erros filosóficos e pedagógicos acerca de tudo que se refere à educação, especialmente ao educando. Não deixa de tratar evidentemente o naturalismo, o socialismo e o comunismo e o impacto nocivo de tais correntes para a educação.  

[9] N. 9.

[10] A obra de Robert Service, Camaradas. Uma História do Comunismo Mundial, dá um panorama geral do avanço do comunismo pelo mundo afora.

[11] Aconselhamos a obra de Marcel Novaes, Do Czarismo ao Comunismo. As revoluções russas do início do século XX. Três Estrelas: São Paulo, 2017.

[12] É importantíssima a consulta da obra O Livro Negro do Comunismo. Crimes, terror e repressão, de Stéphane Courtous e vários outros autores. O título por si só mostra o que está minuciosamente documentado no interior da obra. Para o impacto específico na vida da Igreja é muito aconselhável que se procure pelos inumeráveis mártires feitos pelo comunismo assim que tomou o poder nos países. Há algumas produções cinematográficas recentes e que ajudam a entender o ódio gratuito e desenfreado do comunismo pela verdade, pela moral, pela Religião e pela educação católica. Un Dios Prohibido. Los Mártires de Barbastro, de 1936. E São Pedro Poveda, santo educador e mártir durante a revolução espanhola, de 1936. Um estudo acurado das listas de canonizações do período em que se espalhou a revolução pelo mundo dará condições de conhecer as nefastas consequências do comunismo também para a educação.

[13] Importante leitura: Escola de Frankfurt. O palácio do prazer do demônio. O culto da teoria crítica e a subversão do ociente. De Frank Walsh. Vide Editorial: Campinas, 2020. Além das aulas do Padre Paulo Ricardo sobre a Escola de Frankfurt e a teoria crítica e as aulas sobre Antonio Gramsci.

[14] A Escola das Trevas. Ecclesiae: Campinas, 2020.

[15] A leituras dos livros publicados por Thomas Giuliano, Desconstruindo Paulo Freire e Desconstruindo ainda mais Paulo Freire, é importantíssima para entender a infiltração comunista em todos sistema educativo brasileiro.

[16] http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf (veja, por exemplo, pág. 267).

[17] Divini Redemptoris, 11.

[18] Importante a leitura do artigo de Thomas Giuliano, na obra Desconstruindo ainda mais Paulo Freire: Gênero e Paulo Freire.

[19] “...e particularmente pelos Santos de que é fecundíssima a Igreja, e só ela, os quais conseguiram em grau perfeitíssimo, o fim ou escopo da educação cristã, e enobreceram e elevaram a convivência humana em toda a espécie de bens. De facto, os Santos foram, são e serão sempre os maiores benfeitores da sociedade humana, como também os modelos mais perfeitos em todas as classes e profissões, em todos os estados e condições de vida, desde o camponês simples e rude até ao sábio e letrado, desde o humilde artista até ao general do exército, desde o particular pai de família até ao monarca, chefe de povos e nações, desde as simples donzelas e esposas do lar doméstico até às rainhas e imperatrizes. E que dizer da imensa obra, mesmo em prol da felicidade temporal, dos missionários evangélicos que juntamente com a luz da fé levaram elevam aos povos bárbaros os bens da civilização, dos fundadores de muitas e variadas obras de caridade e de assistência social, da interminável série de santos educadores e santas educadoras que perpetuaram e multiplicaram a sua obra, nas suas fecundas instituições de educação cristã, para auxílio das famílias e benefício inapreciável das nações?” (op. cit.).