Histórico da Paróquia

 

A história da Paróquia Imaculada Conceição remonta ao inicio do século passado, quando foi edificada a primeira capela em nossa cidade, sufragada em honra a Nossa Senhora da Conceição. Com o auxilio generoso da população da Estação Juqueri, em pouco tempo a capela estava pronta. Para inauguração em 1908, foi organizada uma grande festa, que contou com a participação de toda a população, organizando-se uma banda de musica, regida pelo chefe da estação que abriu as solenidades com a Sinfonia do Guarani de Carlos Gomes. Na oportunidade Dona Leopoldina Franco da Rocha, esposa do Dr. Franco da Rocha entregou a imagem de Nossa Senhora da Conceição que viera do extinto Hospício da Rua Tabatinguera em São Paulo para o Hospital do Juqueri.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os anos se passaram, a estação do Juqueri alcançaria sua emancipação política administrativa, separando-se de Mairiporã. No dia 19 de março de 1940, nossa Igreja foi elevada a categoria de Paróquia, pelo então Bispo Diocesano D. José Mauricio da Rocha. Assumiu a Paróquia o Pe. Antonio Veloso Gomes, sucedendo ao Pe. Luiz Assemani, vigarario da Vila de Juqueri (vigário de Mairiporã). Sua permanência entre nós foi breve e a Paróquia passou a ser assistida pelo Capelão da Paróquia da Cia Melhoramentos, Pe. Aquiles Silvestre. Até 1946 muitos sacerdotes passaram pela Paróquia, compondo uma lista considerável de religiosos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em abril de 1946 o Pe. Germano Brand assume a Paróquia, ficando até o ano de 1948, quando toma posse o Pe. Pedro Stons, dos Padres do Sagrado Coração. Um ano de paroquiato e em dezembro desse mesmo ano, 1949, toma posse o Pe. Francisco Jorge do Amaral, vindo da Paróquia de Piracaia. De 1949 a 1950 assume a Paróquia o Pe. Pedro Paulo Farchat, natural de Bragança Paulista e tragicamente falecido em acidente.

Sucedeu-lhe o Pe. Alexandre Botinelli (1950 a 1955) e pela primeira vez fica mais tempo, realizando um trabalho admirável, cujo reconhecimento foi dado pela municipalidade, ao outorgar o seu nome para a Praça da Matriz, perpetuando sua memória. Em seguida chegou o Pe. José Sagliocco, vigário de 1955 a 1968.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sucedeu-lhes os Pe. Avedis Klerlakiam de 1968 a 1971, como vigário cooperador, sendo responsável pela Paróquia o Pe. José Cezar de Oliveira. Em 1971 chega o Pe. Egidio José Porto que permaneceu entre 1971 a 1976. Neste período que compreende o inicio de Paróquia, meados do século passo até 1976 a Paróquia instituiu diversos movimentos, dos quais destacaram-se: Apostolado da Oração criado em 1937, sendo a 1ª Presidente a Sra. Mafalda Otrante e a Congregação Mariana em 1941 sendo seu 1º presidente o saudoso José Nicodemo; neste mesmo ano foi instituída a Cruzada Eucarística e a Pia União das Filhas de Maria, presidida pela Sra. Maria Magalhães. Ressalta-se que o território do atual município de Franco da Rocha e do município de Francisco Morato, até sua emancipação e criação da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1976 chega o Pe. Pedro Loll CR (1976 a 1984 – 1º período) com a Congregação do Cristo Ressuscitado; juntamente com os Padres Tadeu Sikorski CR; Pe. Zygmunt Frankowiak CR. Seu trabalho imprimiu extraordinário progresso a Paróquia. Construí-se a Casa Paroquial, reformou-se a Igreja Matriz, construíram-se inúmeras Capelas por todo o território paroquial. Sucedeu-lhe o Pe. Adão Swalek CR, vigário de 1984 a 1986, também da Congregação do Cristo Ressuscitado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O trabalho continuou no mesmo ritmo, com especial atenção, agora, para a parte espiritual, com vista a evangelização. Em 1986 retornou a Paróquia o Pe. Pedro Loll CR como vigário Paroquial, tempo como auxiliar o Pe. Estanislau Zelazek CR, e Pe. Paulo Solak CR. Nesta sua 2ª passagem foi construída a Igreja do Cristo Ressuscitado, em área central da cidade, sendo posteriormente transformada em Paróquia do Cristo Ressuscitado. Neste período de administração da Congregação do Cristo Ressuscitado foram criadas as Paróquias de Vila Ramos com o Pe. Adão Swatek sendo seu 1º vigário, posteriormente foi desmembrada a área que compreende o território da Paradinha, criando-se a Paróquia Bom Jesus da Paradinha, sob a administração da Diocese.



Sucedeu o Pe. Pedro Loll CR em 1994 o jovem e dinâmico Pe. Paulo Solak CR que vem executando um trabalho sério e teve com ajudantes Pe. Antonio Coelho CR, Pe. Zygmunt Franchowiak CR, atual Pároco da Paróquia do Cristo Ressuscitado e Pe. Fabio Rossi CR.

Janeiro de 1997 Pe. Paulo Solak CR iniciou a reforma da Igreja Matriz Imaculada Conceição, com o objetivo de seguir os padrões originais da Igreja, também foi feita a restauração de altar e da imagem de Nossa Senhora Imaculada Conceição.



A Paróquia caminha com firmeza, cumprindo o compromisso com o “Povo de Deus”.



De 2005 a 2009, mas uma vez Pe. Adão Swatek CR assume o como Paróco, fazendo seus trabalhos e atendendo o povo da cidade.



Em 2009, Pe. Adão Swatek CR deixa a Paróquia e assumindo no lugar o Pe. Luiz Fernando Siqueira Fonseca CR e o Diacono Alexandre Lopes Alessio CR. Com um enorme avanço, a Paróquia começa a se estruturar. E neste mesmo ano, a Ordenação Sacerdotal do Pe. Alexandre Alessio CR é realizada em sua cidade natal Barra Mansa - RJ.



Em 2010, Pe. Luiz Fernando deixa a Paróquia e Pe. Roberto Cachoeira Javorski CR toma posse.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Atualmente, o Paróco é Pe. Alexandre Lopes Alessio CR e o Pe. Roberto Cachoeira Javorski CR. Onde a Cidade festeja com alegria os trabalhos e atenção de ambos para com os fiéis e também o reavivamento das Pastorais, Movimentos, Grupos e Associações.